Astrodestino – Lua Cheia – Entrada do Sol em Áries

Postado em 19 de março de 2011 por Andreia Modesto

Lua Cheia, dia 19, hoje, sábado, 15 horas 10 minutos – Embora seja Lua Cheia, símbolo dos relacionamentos, acontecendo no eixo Virgem-Peixes, pode nos ajudar a traçar novos planos para melhorar a saúde, o que inclui mudanças drásticas no cotidiano, com mais exercícios e boa alimentação como todo mundo sabe.

Amanhã, domingo, o Sol entra em Áries às 20 horas 20 minutos, Lua em Libra – relacionamentos, busca da harmonia, aceitação de si mesmo e das outras pessoas, integração a grupos, equilíbrio entre a individualidade e a coletividade.

Ainda dando a dica do livro de Ken Robinson, o Elemento-Chave, da Ediouro, sobre criatividade, ele chama a atenção para a necessidade de cada um de nós encontrar pessoas com quem possamos compartilhar a paixão e o desejo de realização. Como ele próprio diz, precisamos nos encontrar em alguma “tribo” e essa tribo pode ser formada de pessoas bem diferentes entre si, com idades e experiências diversas mas que dividam alguns valores, pontos de vista, compromisso com alguma atividade em comum.

Isto não tem nada a ver com “fazer parte de uma multidão”, que é o que ocorre nos grupos de fãs ou torcidas de um clube. Não existe um objetivo em comum que seja criador, apenas a admiração por determinado artista ou time de futebol ou basquete. Robinson faz a diferença quando coloca que numa torcida, você está “desindividualizado”, o que gera o comportamento violento da turba. Numa tribo, o contato com pessoas com quem você divide o mesmo tipo de sensibilidade e interesse, confirma sua identidade e a fortalece sempre com o intuito de “fazer algo de bom com isto”.

Pertencer a uma tribo, significa, na linguagem de Robinson, poder compartilhar de modo criador as idéias, os desejos, e muitas vezes, acabar criando junto, fazendo aquela fagulha de imaginação se transformar numa empresa, livro, escola, enfim…

“Encontrar sua tribo proporciona mais do que validação e interação. Proporciona inspiração e provocação para abrir caminho às próprias realizações. Em todos os domínios, membros de uma comunidade apaixonada tendem a se incentivar mutuamente para explorar o máximo possível seus talentos.”

“Tribos são círculos de influência e podem assumir várias formas. Podem estar muito espalhadas ou agrupadas, podem estar presentes apenas em pensamento ou fisicamente, ao seu lado. Podem estar vivas ou mortas ou talvez vivendo por meio de suas obras. Podem se limitar a uma única geração ou atravessar várias delas.”

“Quando as tribos se reúnem no mesmo lugar, as oportunidades para inspiração mútua podem se tornar muito intensas. Em todos os domínios houve poderosos agrupamentos de pessoas que impulsionaram a inovação por meio da influência que tinham uns sobre os outros e do ímpeto que criaram como um grupo.”

Robinson está falando do trabalho criativo em equipes, dos movimentos de arte, literatura, vanguarda, desde a época dos gregos, citando os amigos de Platão que fundaram a Academia, o círculo de Sócrates, mas cita também escolas de cinema que instauraram uma nova maneira de fazer a arte e discorre sobre muitos encontros criativos que transformaram o mundo em diferentes áreas, incluindo o mundo da tecnologia.

Até segunda-feira, reflita sobre os temas inspiradores desse sábado e domingo:

– pense em entrar para aquele grupo de corrida ou yoga
– pense em freqüentar cursos sobre os temas do seu interesse
– aceite aquele que é muito diferente de você e quem sabe, aprenda com ele

“Se você não interage com outras pessoas, fica de fora. Ninguém, como sempre falo, pode ser alguém sem que alguém esteja por perto” . John Wheeler

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *