Astrologia e Preconceito…

Postado em 8 de outubro de 2013 por Andreia Modesto

oAlgumas pessoas perguntam sobre o lado negativo de cada signo ou se existem signos “piores” do que outros. Nada na vida é cem por cento bom ou mau. O que pode ser abominável em uma determinada cultura, pode ser gesto de boa educação em outra.

O que pode parecer sofisticação ou falsidade para alguns, pode ser a salvação diplomática para outros. Enfim…

Todo mundo sabe de cor o que tem de pior dentro de si. Pelo menos, depois de alguma idade. Passamos por muitos testes. E os testes não são apenas as dificuldades da vida.

Se a falta mobiliza algumas pessoas para o crescimento pessoal, outras vestem de vez a fantasia do “coitadinho”.

Alguns sites se especializam em abordagens desse gênero, mas cada um de nós tem o seu próprio estilo.

E a função dos astrólogos não pode ser alimentar as fantasias das pessoas, pois fantasias podem gerar preconceitos que podem gerar sofrimento.

A característica predominante de uma pessoa pode ser dada por um “aspecto” e não pelos signos. Urano conjunto a Lua em Câncer na cúspide da casa 7 faz com que um cliente meu que é Capricórnio com o Ascendente em Capricórnio tenha não somente um temperamento mas um destino de Aquário, signo regido por Urano.

Os motivos que levam alguém a entrar em sintonia com um aspecto ou com os elementos dominantes ou com determinado signo e planeta, são vários. É preciso que o astrólogo se debruce sobre o mapa, analise com base na técnica e na intuição e pode descobrir rapidamente a questão ou levar algumas semanas para chegar lá. Ou, em alguns casos, deverá fazer sinastrias para revelar que tal característica tem muito da influência do Saturno do pai ou do irmão mais velho.

Alguns signos agem, provocam, criam. Outro signos reagem, refletem, participam. Vale o mesmo para os planetas.

Se os signos são qualidades – como Touro é constante, persistente, prudente, guloso, cumulativo – os planetas são energia – Vênus é a energia do amor, da harmonia, do companheirismo, da conciliação, do estilo e do dinheiro (com Júpiter)  e as casas são cenários: a casa 2 nos revela como fazemos dinheiro, nossos dons, talentos, habilidades, e como lidamos com esses recursos todos.

Os maiores testes não são as dificuldades da vida. Na maioria das vezes as pessoas reagem bem, pois o desafio é estimulante. O poder, a riqueza e a beleza são sem dúvida, os testes maiores. É na vaidade pessoal que a maioria escorrega, não importa o signo solar.

Tento quebrar padrões de pensamento antiquados por alguns motivos:

– porque se transformam realmente em preconceitos e por isso são nocivos a qualquer pessoa

– porque a Astrologia, como a Vida, é algo muito maior do que acusar alguém de ser arianamente nervoso ou cancerianamente medroso – rótulos bobos que talvez tragam paz (?) às mentes pequenas que se defendem nesse modo pequeno de viver a vida (ou de não viver)

– e mesmo que alguém possa viver de modo negativo – em excesso – uma determinada qualidade do signo – está livre para decidir se transformar – tudo é questão de dose – a ansiedade do virginiano é produtiva mas ele pode se esforçar por diminuir esse grau de ansiedade para ajudar a si mesmo e às outras pessoas ao seu redor