Das várias traduções que um planeta pode ter: Júpiter transitando por Câncer – o retorno de Júpiter – Das sinastrias – o que é realmente importante no mapa amoroso – conjugação de dois mapas para entender um relacionamento afetivo

Postado em 5 de dezembro de 2013 por Andreia Modesto

Da riqueza do mapa astral – Vários aspectos de um só planeta – Júpiter. Das sinastrias – o que realmente importa no estudo de um relacionamento.

Meu cliente que começou a estudar Astrologia de um modo superficial, ficou surpreso com a força do seu “retorno de Júpiter”, um trânsito que forma ciclos de doze anos.

Sendo Sagitariano, tendo Júpiter retrógrado na virada da casa 6 para a casa 7, influenciando as duas casas, numa órbita de 6 graus, desde junho de 2013 vivenciou:

  1. Uma mudança de residência, ajudado pelos pais.
  2. Os pais também mudaram de residência.
  3. Antes de ganhar peso, já começou a se exercitar no condomínio do novo prédio
  4. Ganhou um curso da empresa em que atua e se envolveu mais com as aulas que dá em paralelo, ganhando uma grade maior para o ano de 2014
  5. Ganhou um sobrinho
  6. Ficou noivo e está pensando em vir a se casar no ano que vem pois tem perspectivas de ganhos maiores pelo trabalho
  7. Tem sido abordado por muitos amigos, sobretudo da faculdade e do Mestrado que já cursou, para ter desenvolvimento intelectual publicando livros e dando palestras

Júpiter em Câncer é considerado uma posição excelente. E é uma posição positiva que a prática confirma. Sendo ele sagitariano, conseguiu vibrar muitas energias boas. Só não sobrou espaço para viagens longas, mas nem Júpiter consegue oferecer tudo ao mesmo tempo!

É só um exemplo de como uma única influência pode gerar, pelo signo, elemento, casas que influencia, uma tradução tão rica. No caso dele, todas muito positivas.

**********************************************************************************************************

Voltando a falar sobre sinastrias, nunca façam apenas  a conjugação entre os dois mapas. Sinastria que pode realmente ajudar na compreensão do relacionamento, EXIGE:

– que se compreenda primeiro, individualmente, a demanda afetiva de cada parceiro

– que se compreenda em seguida, o que os planetas de trânsitos e progressões dizem sobre O MOMENTO que o casal vivencia

– se for possível, acompanhar o início do relacionamento

– fazer então a conjugação dos planetas, aspectos e casas – mais pela qualidade e não pela quantidade, pois aspectos menores não precisam ser considerados

– fazer os trânsitos e as progressões para a vida amorosa, de ambos, para ver se existe chance do relacionamento progredir, ou se, apesar de muitos pontos em harmonia, os planetas de crise pedem cautela

Fazer apenas o jogo entre planetas e casas, não ajuda, não esclarece e pode até confundir. É preciso sempre, ter uma visão DINÂMICA. Nunca uma visão pequena, restrita e estática. Ela não seria totalmente falsa – não se pode usar essa expressão, mas poderia ser enganadora.