De Saturno para Urano: “Virei autônomo, e agora?”

Postado em 15 de agosto de 2014 por Andreia Modesto

Bom, depois de uma postagem sobre a segurança saturniana, chega a vez de Urano. Tendo atendido várias pessoas assustadas com o fato de que foram obrigadas a se tornarem as donas das suas consultorias, trabalhando com total autonomia e alguns parceiros, vale a pena explicar esse processo natural uraniano.

O mundo gira, dá voltas, a História nos coloca de pernas para o ar e manda em nossas vidas. A autonomia ou o incentivo ao “empreendedorismo”, são sinais claros do impacto de Urano em nossas vidas.

Talvez, na última postagem, tenha faltado a observação de que o mundo está menos saturniano, não somente porque as pessoas relutam em amadurecer e assumir a própria vida nos relacionamentos familiares, mas, também, porque na vida profissional, acontece o oposto: são obrigadas a tocarem seus negócios sem depender da segurança de uma empresa. Pois as empresas já não oferecem nenhuma segurança.

É o mundo de Urano, que nos torna mais livres. O homem livre, o profissional liberal. Nada de vínculos exclusivos. De início é um baita susto. Depois, vai se descobrindo o prazer de fazer as coisas do seu jeito original.

É óbvio que Saturno estará sempre presente. Trabalhar em casa ou não ter um chefe direto para fazer cobranças, nos obrigará a nos organizarmos muito mais. Para cumprir os prazos que antes, o chefe nos cobrava.

Não vestimos a camisa do outro. Vestimos nossa própria camisa. Obviamente, trabalha-se mais. Trabalha-se para si mesmo e não existe diferença entre o próprio sujeito e o seu trabalho. Brota dele, nasce dele, tem a cara dele. No início, faz-se muita concessão e depois, com o estilo já definido, são os clientes que procuram aquele profissional conceituado, porque querem ter a marca dele. O estilo próprio venceu.

Quem já deu esse pulo, quem já venceu o susto, entendeu que não existe nada melhor do que trocar a velha segurança pela satisfação de fazer o que se gosta de fazer e do jeito como se gosta de fazer.