Parte 2 – Dúvidas e perguntas sobre Astrologia

Postado em 5 de dezembro de 2017 por Andreia Modesto

1 – Porque eu não me identifico com o meu signo?

Porque você não é um típico representante do seu signo solar e também porque vibra outras influências tão importantes quanto a influência do signo solar.

Algumas pessoas são “típicas”. Os amigos e parentes comentam:

“Ele é um típico capricórnio, muito centrado e metódico”.

“Ela é uma típica ariana, muito agitada e cheia de energia”.

Também podem existir comentários negativos:

“Ele é um aquariano típico, vivendo no mundo da lua e perdendo as oportunidades”.

“Ele é um sagitariano típico, arrojado demais, vive dando um passo maior do que a perna”.

Bom, independente do julgamento se determinadas características são positivas ou se tornam negativas, algumas pessoas expressam de modo tão claro as qualidades do signo solar que são chamadas “típicas”.

“Ele é totalmente Touro, seguro com dinheiro e sem pressa de conquistar seus objetivos”.

Na verdade, essas afirmações mostram que essas pessoas ajudam a confirmar que a Astrologia “funciona”, pois é possível ler as qualidades dos signos e ver como se manifestam de modo tão evidente.

No entanto, mesmo os “típicos” possuem mil outras qualidades e que irão expressar em outros setores da vida. Então um típico virginiano que trabalha muito e é minucioso no que faz, pode ter também uma outra influência de Aquário que o leva a  frequentar grupos de meditação e se interessar por Ufologia, além de usar a Lua em Câncer para cuidar de animais abandonados.

O exemplo de Donald Trump parece uma pegadinha para a Astrologia. Conhecido pela falta de delicadeza, diplomacia e imparcialidade, ele não demonstra nenhuma qualidade do seu signo solar Gêmeos. No entanto, é possível pensar que ele teve duas carreiras (empresário e político) e ainda, que o “personagem Trump” é uma construção geminiana com performance e fala que agradaram a um tipo de eleitor tradicional.

Na verdade Trump expressa (de modo negativo) o Ascendente em Leão e muitas influências de  Sagitário (Lua e Nodo Sul, Cauda do Dragão). Ele tem o Nodo Norte (Cabeça do Dragão) em Gêmeos, o que significa que está aprendendo a ser geminiano. Talvez tenha reconhecido em alguns momentos que deveria ter sido mais polido e aberto, o que é o aprendizado do Nodo Norte em Gêmeos.

 2 – Existe algo de errado comigo por não expressar tão claramente as qualidades do meu signo?

Não existe nada de errado. Como citei nos parágrafos acima, você expressa outras qualidades de outros signos que são também muito importantes no seu mapa. Ninguém apostaria que o signo de Elvis Presley era Capricórnio. Mas o rei do rock, sensual e transgressor em sua época, tinha a Lua em Peixes, associada a música, carisma e muita droga. A relação com o pai era complicada e é o suficiente para a expressão do signo de Saturno.

Mas, não pensem que toda Lua em Peixes vai rebolar e se drogar muito. Michele Obama e Hillary Clinton possuem a mesma posição de Lua, que pode também se interessar por política e questões sociais.

3 – Qual o planeta ou ponto mais importante do mapa astral?

A Astrologia nunca fez muito sentido para mim até que encontrei um livrinho sobre os Nodos Lunares. Era início da década de 70 e tive que pedir ajuda a um tradutor. Os Nodos Lunares são, para mim e para muitos astrólogos, o ponto mais importante do mapa. Sem a leitura dos Nodos, ou seja, sem a leitura da missão de vida, o mapa parece não ter um propósito.

E um mapa deve ser um mapa. Se você tem em mãos o mapa de uma cidade, você deseja conhecer essa cidade e ir a algum lugar. A primeira pergunta é:

Onde estou?

Em alguns metrôs ou mapas espalhados pelas cidades, existe um vetorzinho colorido dizendo: VOCÊ ESTÁ AQUI.

Isso facilita que você se localize e pegue o metrô ou o ônibus na direção correta.

O mapa astral ajuda você a saber onde você está, de onde você veio  e ajuda também a saber para onde ir.

De onde eu vim: Nodo Lunar Sul

Onde estou

Para onde vou: Nodo Lunar Norte

Você está no meio do caminho, tentando seguir na direção do que o Nodo Norte aponta, que não representa castigo ou punição, mas experiências que vão trazer abertura da mente para você e um entendimento melhor sobre sua vida.

O mapa astral é a síntese das vidas anteriores. Não se  refere a uma única vida, mas tudo o que você veio acumulando de vidas passadas. Então, muitas pessoas se identificam com o que lemos sobre vidas anteriores, até muito mais do que sobre o signo solar.

Leoninos nascidos em 1980 ou 1981 podem se identificar muito com o signo oposto, Aquário. O Nodo Sul está em Aquário e são muito mais abertos, comunicativos e inquietos do que a maior parte dos nascidos no signo do Sol.

É muito importante lembrar que o mapa astral não é uma receita de bolo. Nem todos os arianos são irritáveis e competitivos e nem todos os taurinos se preocupam em guardar dinheiro. Existem muitas variáveis que modificam a expressão do signo solar, sem que haja algo de errado com isso.

Se o Nodo Sul está em Escorpião, as vidas anteriores foram vividas com total despojamento em relação aos bens materiais e uma percepção clara da transitoriedade da vida. E nessa vida de agora, é preciso desenvolver um pouco mais de paciência para poder construir uma boa segurança nesse sentido.

Se Netuno estiver em quadratura ou oposição ao Sol em Touro, é o suficiente para existir uma dificuldade maior na construção da segurança material.

O mapa astral é muito rico e além da análise dos Nodos e da dinâmica dos aspectos, existe a força das casas e as influências dos elementos.

Mas não se pode perder de vista que o mapa astral é dinâmico. É um caminho. Um “tornar-se”. Existe um potencial a ser desenvolvido e a proposta é de mudança para melhor, na direção do que o mapa aponta.

4 – O astrólogo pode ver tudo? É um trabalho de adivinhação? É pura intuição? É um trabalho espiritual?

O astrólogo estuda muito, se debruça sobre livros e usa a prática para poder interpretar o mapa com um bom grau de acerto. Podemos comparar a leitura do mapa astral a uma tradução de texto. A tradução do que está escrito no céu. A Astrologia pode ser explicada como uma linguagem.

5 – Alguém me perguntou: “ Estudo Astrologia há muitos anos, mas nunca atendi ninguém e nem fiz o mapa dos amigos. Uso a Astrologia só para meu autoconhecimento. Nem sempre me identifico”.

Ler muito é importante, mas nada substitui a prática da Astrologia. Muitos livros são muito antigos e algumas colocações precisam ser revistas. Alguns estudiosos de Astrologia travam quando tentam interpretar um mapa, pois não conseguiram fazer a transição da teoria para a prática. É a prática que  gera a possibilidade de terem uma crítica sobre vários autores e colocações que não funcionam na prática e também de descobrirem a força de alguns posicionamentos, sendo que nunca leram nada a  respeito, mesmo que tenham devorado livros em vários idiomas e de grandes autores.

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *