Entre a Lua Crescente e a Lua Cheia

Postado em 5 de março de 2017 por Andreia Modesto

 Entre Lua Crescente e Cheia, ganhamos uma energia extra. As lunações mostram movimento, expansão, possibilidade de se descobrir para onde vamos, ou pelo menos ter uma vaga intuição do que a vida deseja de nós.

Em alguns momentos parece que deciframos hieróglifos de alguma antiga civilização. Mas é só mesmo o mistério da história de cada um de nós, óbvio talvez para quem olha de longe, e tanto mistério para quem vive a prórpria história.

Computadores dando problema, sem tempo nenhum para postar, vivendo o final do ciclo de Peixes. Querendo pesquisar quem foi o Papa que mexeu no calendário e jogou o início do ano para o solstício de verão no hemisfério norte (25.12).

O ano começava na verdade, na Páscoa, ressurreição do deus-Sol, Marte, regente do primeiro mês (Março), voltando o calor e a luz para as terras frias acima do Equador. Pergunte a um europeu que tipo de alegria é possível sentir quando a neve começa a derreter!

É verdade que todo o Zodíaco foi construído para o hemisfério norte. Mas aquele papo/teoria de que então, quem nasce aqui no dia 21 de março deveria ser Libra, NÃO FUNCIONA. Já ouviram falar nisso?

Precisamos de muitas luzes, não só para entender nossa história individual, como a história de todos nós – humanidade – e as projeções que criamos, positivas e negativas.

Por enquanto, dividindo a postagem que a Fadinha me enviou: um pouco de luz e o abençoado técnico dos computadores que atende de emergência no domingo, hacker do bem!

DICA DA FADINHA: Luz na noite escura. Símbolo de esperança e esclarecimento. Durante períodos de escuridão ou desconhecimento, nos sentimos perdidos, frágeis ou confusos.

Mas existe sempre alguma luz que representa esperança e aponta o caminho a seguir. Nem sempre conhecemos todo o trajeto, mas passo a passo vamos fortalecendo a fé em nossa história de vida e recuperando a confiança.