Lua Cheia em Touro dia 14, 11 h 53 m – Lua dos relacionamentos

Postado em 12 de novembro de 2016 por Andreia Modesto

Escorpião é muito mais do que o signo da morte. É um dos signos de casamento, mais profundo, transformador e intenso do que Libra. Enquanto Libra racionaliza durante horas comparando o velho e o novo parceiro no amor, Escorpião perde o prumo, fica sem chão e se entrega de corpo e alma.

Na “Era de Aquário”, época que vivemos, revolução dos valores e ideais, a confusão pode ser muito grande em todos os segmentos. Se alguns ficam atordoados na carreira sem entender que “carteira assinada já era”, outros ficam se perguntando se no tempo em que os casamentos eram arranjados pelos pais as coisas não seriam mais fáceis?

Depois que descobrimos que podemos casar por amor, escolhendo e sendo escolhidos pelo desejo de ficar junto, tudo se tornou mais complexo. Porque amor e desejo terminam ou vivem grandes provas, existindo uma responsabilidade maior em cada escolha.

Ficar, permanecer, dar uma nova chance para aquela relação? Ou romper e dar chance para o desafiador destino, que nos traga alguém diferente?

Os relacionamentos gays tiveram grandes conquistas, reconhecimento, legitimação, graças a Deus, com apoio de boa parte da sociedade. Os relacionamentos hetero entraram em crise, com os “meninos” assustados e apreensivos em relação às “meninas”, ansiosas e apressadas.

Viver uma era de transição é uma delícia para quem já tem alguma idade. O mundo era outro completamente diferente, com objetos, posturas, objetivos e valores que hoje não fazem sentido e não servem nem para piada.

“Na carne”, pode doer um bocado. A surpresa diante de tantas carreiras possíveis se dá também diante de tantos relacionamentos possíveis.

Namoridos? Casados mas cada um morando na sua própria casa? Morando junto com papel de união estável? Cada um no seu país se vendo uma vez a cada mês? Filhos? Só depois do MBA e do ano sabático em Berlim!

Vários modelos de relacionamento convivem hoje. Se algumas mulheres fazem questão de véu e grinalda, a maior parte declina, já que aos poucos ele vai mudando para a casa dela ou ela vai mudando para o flat dele e vão acertando os ponteiros.

Muitos atendimentos giram em torno de vida afetiva e total desacerto dos ponteiros. Se homens são velozes nas corridas e esportes, na vida amorosa demoram a tomar decisões e precisam de tempo para refletir. E elas estão sempre correndo atrás do tempo, como o coelho de Alice, sobretudo se já estiverem perto dos 40 anos, por conta do relógio biológico para filhos.

– ele mora junto com ela há dois anos e meio, fiel, dedicado, mas não a pede em casamento e quando ela pressiona, ele diz que não está pronto para casar. Tornou-se sócio do pai dela e está cada vez mais enfronhado na família…

– ele diz que ela é o amor da vida dele e que pensa nela todos os dias, mas aparece a cada três meses, oferece uma relação intensa, se declara todos os dias e depois desaparece…até que seis meses depois, desencanta e aparece de novo…dá prá acreditar?

– eles se entendem demais, viajam, têm tudo em comum. Estão juntos há quatro anos, relação perfeita. Mas ele não tem certeza se quer ter filhos. Ajuda financeiramente aos pais e precisa de tempo para saber se realmente quer ser pai. Ela pensa em abrir mão do relacionamento para encontrar alguém que queira ser pai rapidamente…será?

– ela nunca pensou em casar, nunca quis ter filhos, não tem paciência em morar junto. A única vez que tentou, a relação se esgotou rapidamente. Agora, pela pressão de amigas, está tonta, achando que se não casar e não tiver filhos, ela não é “normal”…

Muitas confusões na vida a dois. Em relação às moças, a ansiedade é o pior inimigo. Aquelas que tiram a ansiedade do meio do caminho, em pouco tempo realizam a vida amorosa e têm filhos.

Em relação a eles, parece que precisam de mais segurança. Assustados diante da pressão das moças, acabam desistindo, jogando as relações para o alto e confessando na consulta que sentem falta delas…mas que não aguentam a pressão.

Ritmos diferentes, já que desde a década de 40 as mulheres tiveram que agitar, acelerar e se jogar na vida. Menos pela consciência do poder feminino e busca de independência.

No início disso tudo, os homens foram para a guerra e os idosos não conseguiam fazer o trabalho dos homens jovens. Mulheres encurtaram as saias, jogaram fora os espartilhos e arregaçaram as mangas.

Eles ficaram atônitos, surpresos, admirados! E estão atônitos, surpresos e admirados até agora…

Na Lua Cheia, lua dos relacionamentos, 14/11, segunda, 11 h 53 m da manhã, medite pelo seu relacionamento.

Que seja equilibrado, o poder feminino e masculino em harmonia. Desejos, papéis, metas e realizações para ambos, sem competição, medos ou pressa. A única intenção: fazer feliz um ao outro, ter uma relação verdadeira e possível.