Mercúrio retrógrado em Virgem – Mercúrio em Virgem R

Postado em 28 de agosto de 2016 por Andreia Modesto

“Conhecimento sem justiça deve ser chamado de esperteza sem sabedoria” – Platão

Em 30/08, terça, Mercúrio em Virgem retoma o movimento retrógrado e nos leva a refletir sobre a importância do conhecimento em nossas vidas.

Mercúrio R pensa, pesquisa, fala, ouve, considera. Revisa, corrige, revisita quando está retrógrado. Todas as minúcias são observadas, nada escapa. Pode ser que alguns processos sejam suspensos ou atrasados, mas isso não significa que não se realizem.

Ao contrário, pode ser preciso rever o texto, mudar alguns pontos importantes, aperfeiçoar ainda mais, redirecionar para outro público, livrar-se de um sócio, convidar outro, enfim, um processo intenso de aprendizado em qualquer área da vida. Veja por onde Mercúrio R em Virgem está transitando no seu mapa e avalie.

Conjunto a Júpiter, Mercúrio pode levar você a pedir desculpas, reconhecer os erros, ou descobrir que pode perdoar erros cometidos por outras pessoas. Sem maiores consequências. Tudo o que não pôde ser explicado, será esclarecido.

E se existiram estudos interrompidos no passado, anime-se, pois pode encontrar energia e motivação para voltar aos bancos de escola ou assinar algum curso online, que você realiza em casa, nas horas que escolher.

A educação na maior parte do planeta prepara para uma carreira, valorizando os testes, concursos e provas que façam parte de um processo profissionalizante. Mas outros dons que poderiam aflorar e também serem transformados em algum tipo de trabalho, atrofiam.

Nas escolas, as crianças não aprendem nada sobre atividades como cozinhar, costurar, dançar, cantar…Talvez cuidem de alguma pequena horta, superficialmente,  mas não sabem sobre jardinagem, animais ou outras experiências da vida, vivendo espremidos entre aulas de matemática e ciências.

Cérebros desenvolvidos demais para corpos e almas carentes de outras atividades.  E na hora da escolha de carreira, alguns mais pragmáticos se saem muito bem, enquanto outros, mais artísticos, começam tudo do zero ou têm que buscar em atividades paralelas os ingredientes para sua trajetória. A escola “tradicional” deixou as mochilas vazias e não apontou nenhuma direção.

Talvez o adolescente escolha um caminho profissional que pais e professores considerem que “não é trabalho”, seja por ser criativo demais, ou por não necessitar dos quatro anos de universidade, que seja pública ou privada, não ensina muita coisa, tanto que o melhor é emendar logo um Mestrado ou Pós, para poder ganhar alguma consistência maior. E nisso se vão uns cinco-seis anos…

“Sabemos que é hora de procurar o que nos falta,  quando não existe nenhuma alegria no final de nossos pensamentos. Mas encontramos alegria no início de todas aquelas coisas que ainda são desconhecidas para nós”. Lebron