Pai. Sagitário. Capricórnio. Leão. O novo Papa Francisco. Nodo Sul em Capricórnio.

Postado em 24 de março de 2013 por Andreia Modesto

As figuras paternas na Astrologia são representadas por Leão e Capricórnio. Outros signos podem ser associados ao “poder do pai”, como Áries e Sagitário, por serem signos de autoridade.

Francisco, nome escolhido pelo novo Papa argentino, o Papa que “veio de longe”, é nascido com Sol em conjunção com o Nodo Norte em Sagitário. Em 17 de dezembro de 1936, o céu de Buenos Aires apresentava os seguintes aspectos:

Nodo Norte e Sol conjuntos em Sagitário

Júpiter – regente do Sol – e Mercúrio conjuntos em Capricórnio

Lua e Vênus em Aquário

Urano quadratura Vênus

Saturno em Peixes

Nodo Sul em Gêmeos conjunto a Quíron

Marte em Libra

Não vou ditar todos os aspectos,  mas aqueles que fazem entender que Sagitário é não somente um signo de expansão, (o Papa que veio de “longe”) como de poder, autoridade e fé.

E que Júpiter em Capricórnio, assim como Saturno em Peixes, abrem a possibilidade de que a “responsabilidade” saturniana esteja relacionada com o mundo da “fé”.

É o novo pai da Igreja, dos fiéis católicos e chama a atenção para um continente distante do Vaticano, a América do Sul. A simplicidade e a espontaneidade são reflexos de Sagitário e Aquário, sinceridade, improviso e a quebra de protocolos.

Yogananda,  pai espiritual da Índia, era nascido em 05 de janeiro de 1893. Capricórnio com Vênus e Mercúrio em Sagitário. Júpiter em Áries em oposição a Saturno em Libra, os dois planetas em quadratura com o Sol. Nodo Sul em Escorpião em conjunção com Urano. É possível que a Lua estivesse em Leão embora a partir da noite (em torno das 20 horas) já entrasse  no signo de Virgem mas não consegui obter o horário de nascimento.

***************************************************

Vivemos num mundo em que Saturno anda “em baixa”. Ninguém se orgulha de ser responsável, esforçado, batalhador, ninguém se orgulha de ralar muito para conseguir realizar seus projetos pessoais ou não realizar projetos pessoais, mas ralar muito para que outras pessoas possam realizar os seus destinos.

É o mundo da satisfação imediata, do “auto-amor”, em que jovens de 35 anos pedem sorte, passes de mágica, jogam carreiras para o alto e dizem na consulta, com todas as letras, que “vieram só mesmo para usufruir”. E outros “jovens” de 45 anos não abrem mão de poder fazer o que querem fazer a qualquer momento, seja lá o que for. Não querem ser pais porque não querem abrir mão do papel confortável (para eles) de ainda serem filhos.

Muitos clientes “culpam” Saturno por reviravoltas na vida, fases turbulentas ou desorganizadas e o planeta que rege o terceiro signo do elemento terra, em verdade, não tem nada a ver com isto.

Querem a porta larga, escancarada, fácil de atravessar. E quando percebem que a porta é estreita ou nem se abre para eles, fazem uma confusão imensa ao invés de refletir sobre o que está acontecendo.

Se você se sentir limitado, pressionado, mas perceber claramente que aquela tensão traz crescimento e aprendizado, é Saturno quem está conduzindo você. Você pisa em terra firme e pode ter uma pedrinha no sapato, mas com certeza  está construindo um caminho de vida.

Um exemplo: se  optar por ter filhos, sabe que precisa de um apartamento maior, reservas financeiras e mais do que isto, abrir espaço na mente e no coração para um novo alguém que vai chegar por aí, demandando atenção e amor por muito tempo à frente. Suas responsabilidades vão aumentar.

Engolir sapos por algum tempo pode ser a estratégia inteligente para colocar a mão num certificado que abre portas para a realização de projetos mais felizes e gratificantes. As recompensas não podem vir de um modo gratuito. A vida pode ser generosa em muitos momentos e o fator sorte se faz presente em algumas fases da vida mas esperar as coisas caírem do céu o tempo todo,  é perder a vida.

Se você se sentir desorganizado, com a vida fugindo do seu controle, vivenciando perdas e situações inusitadas,  ou se sentindo muito confuso, tente descobrir se é Urano, Netuno ou Plutão que está lhe pregando uma peça,  ensinando lições que você não esperava viver.

Com Saturno, você compreende, racionaliza, supera e consegue realizar seus projetos. Nunca da noite para o dia. Lembra da história dos três porquinhos? O terceiro porquinho deve ter nascido em Capricórnio, paciente, construindo com tijolo a casa que vai abrigar os outros dois.

Potência pode significar prudência e prevenção. Avaliação realista dos riscos e planejamento, previdência, programação. Melhor encarar e se preparar. Não vai ser tão difícil obter sucesso e escolher o terreno certo para construir a casa. Estive em  Santiago do Chile há pouco tempo. Fiquei espantada com o número de arranha-céus, prédios altíssimos e modernos, numa área em que terremotos são freqüentes. Daí o imenso número de praças, muito verde, grandes espaços abertos.

Orgulhosos, os chilenos contam que Santiago vive terremotos freqüentes e fortes, mas que os danos materiais são pequenos e pouquíssimas ou nenhuma vítima, já que a cidade está preparada para o fenômeno. A engenharia dos prédios é planejada para dar conta do problema e o processo de evacuação para tsunamis está sempre em alerta.

Com Urano, Netuno e Plutão, a sensação pode ser  de impotência e total entrega ao que o destino exige que você faça. Independente do tal livre-arbítrio.

O ideal é que a pressão saturniana possa ser conjugada de modo feliz com a liberação, sensibilidade e transformação de Urano, Netuno e Plutão. Depois de um dia árduo de trabalho, a corrida, a yoga, o papo com os amigos, um filme divertido ou algum momento de recolhimento no centro espiritualista.

Com os três planetas trans-pessoais, a casa cai. Com Saturno, você recolhe os escombros e vai reconstruindo, pedra sobre pedra. Saturno teria contratado previamente um engenheiro que faria obras de contenção a tempo. A casa continuaria firme, confortável e resistente no mesmo lugar.

A função do pai é oferecer estrutura. Pai é sinônimo de poder, potência, capacidade de realização. A função paterna não precisa ser realizada pelo pai biológico e não é raro o lar em que o pai  canceriano ou pisciano, ofereça colo e faça vista grossa para as traquinagens dos filhos,  enquanto  a mãe ariana lembra  que é hora de estudar, escovar os dentes e ensina todas as regras do viver.

Uma sociedade que torce o nariz para Saturno, torce o nariz para a autonomia e a capacidade de gerenciar a própria vida. Torce o nariz para a responsabilidade, torce o nariz para o conhecimento adquirido pela idade, torce o nariz para qualquer tipo de planejamento, suor e esforço. Torce o nariz para o pai e talvez seja por isto que aceita impunidades e convive com o desrespeito a todas as leis, esperneando, comentando as notícias do jornal,  sem fazer nenhum movimento  concreto para mudar as coisas.

Saturno é prevenção e planejamento. Depois que a encosta cai, soterrando casas,  – e isto se repete por anos – as pessoas mostram a solidariedade que emociona, (Netuno, Urano e Lua) mas não traz nenhuma vida de volta.

As restrições, (Saturno)  à bebida,  (Netuno) que destrói vidas com menos de 30 anos  nos finais de semana, deveriam, por precaução, impedir que um copo de cerveja prometesse a “primeira vez” com uma deusa sexual (Plutão). Não há adolescente que resista a  esse elixir.

Fazer o controle pós-bebida, não impede que aqueles que não encontraram uma blitz pelo caminho, passem por cima daqueles que estão saindo para trabalhar bem cedo (Saturno).

“Responsabilidade” é a melhor palavra para Saturno embora outras possam ser escolhidas, como estrutura, esforço, comprometimento, sacrifício, coerência, construção e por aí vamos.

Todos os signos podem ser boas figuras paternas. Tradicionalmente, Aquário pode ser o pai mais difícil, pois tem dificuldades viscerais com autoridade, o que inclui exercer sua própria autoridade. E valoriza tanto a liberdade pessoal que pode tratar os filhos como bons amigos, mas não compreender que o laço pai-filho exige outros ingredientes. A questão da eterna juventude também pode fazer com que alguns aquarianos neguem a paternidade porque ela faz lembrar a idade que têm. Se o filho já está adolescente e entrando para a faculdade, esse pai não tem mais 25 anos.

Uma postagem feita para um blog que é acessado por milhares de pessoas, ou um artigo para uma revista ou livro, faz generalizações. Conheço aquarianos que são pais dedicados, porque embora amem a liberdade oferecida por Urano, têm uma boa posição de Saturno ou a regência do eixo casa 4-casa 10 aparece com energias muito positivas para constituição de família. Ou seja, é preciso ver todo o mapa para poder avaliar se aquela pessoa vivencia as qualidades do signo solar de forma evidente.

Um aquariano com o Ascendente em Capricórnio e Nodo Sul em Leão pode ser completamente apaixonado pelos filhos. Se a Lua estiver em Sagitário, pode se organizar para se aposentar cedo e viajar o mundo com os filhos. Esse é um exemplo real de um cliente nascido em 1962 que não vê a hora de apresentar o planeta Terra para os três filhos, dois biológicos e um adotado.

Essa questão da paternidade-maternidade é curiosa. Fica claro que para algumas pessoas, esse vínculo de amor-responsabilidade (Lua-Saturno) nasce,  sobretudo,  no momento em que a relação começa de forma mais concreta, ou seja, quando a criança é recebida em seus braços ou passa a conviver na estrutura familiar.

Alguns não admitem nem pensar em  adoção e me pergunto se ser pai ou mãe seria apenas dar continuidade a si mesmo. Outros consideram a possibilidade de gerar filhos biológicos sim, mas não descartam adotar. Em outros países,  é  comum que casais que têm filhos biológicos também procurem adotar outras crianças. A noção de família se estende além dos laços consangüíneos.

Existe um processo de “apadrinhamento” que pode ajudar as crianças dos orfanatos. Sobretudo aquelas que já têm mais idade,  e que possivelmente, “ninguém vai querer”, para usar um termo que ouvi de uma assistente-social. O apadrinhamento é a possibilidade de se “cuidar” de um  órfão, dando assistência emocional-afetiva ou financeira, mas não é a adoção tradicional. É um processo  interessante para quem gostaria de ajudar crianças, mas não tem uma estrutura para recebê-las definitivamente em suas casas.

O exemplo do apadrinhamento é um processo saturniano. Pode-se apadrinhar afetivamente, visitando, levando a criança para passear, oferecendo lazer, amor, afetividade, ou financeiramente, custeando os estudos, esportes, ajudando no seu desenvolvimento intelectual. É lógico que aqui Lua e Saturno se misturam. Existe o movimento do coração (Lua), no mundo das crianças (Lua) abandonadas (Saturno-falta) pelos pais. Mas alguém se dispõe a suprir de alguma maneira essa falta (Saturno).

Basta clicar no google: “apadrinhamento e adoção” e vários sites se abrirão para explicar melhor do que se trata.

Voltando à Astrologia, o exercício da paternidade pode ser realizado por qualquer signo e alguns podem ter características especiais. O pai geminiano pode fazer uma lista de livros que acredita serem essenciais na formação do caráter do filho, o pai pisciano pode levar o filho semanalmente à missa ou a centros espiritualistas, o pai canceriano pode criar uma atmosfera de aconchego com pipocas, sucos e muitas comédias assistidas na tarde de chuva. O pai sagitariano empurra para o mundo, o leonino prepara o filho para assumir sua empresa, o ariano incentiva aos esportes!

Não vou citar signo por signo. A próxima postagem será sobre aqueles que possuem o NODO SUL EM CAPRICÓRNIO e estão enfrentando Plutão transitando sobre o NODO SUL. Não tive tempo de checar exatamente a data em que as posições começaram. O ideal é checar no astro.com. Colhi as informações de uma lista impressa que tenho e não tive tempo de confirmar com meu programa de cálculos. O ideal é montar o mapa e checar se o Nodo Sul está realmente em Capricórnio nas datas limiares – próximas do Nodo Sul em Aquário ou Sagitário – e entendendo que todo Nodo progride em movimento retrógrado, analisar os “nascidos nas cúspides” do mesmo modo como acontece com planetas ou graus das casas.

Os nascidos entre:

14 de janeiro de 1963 e 02 de agosto de 1964

03 de junho de 1944 e 21 de dezembro de 1945

25 de agosto de 1981 e 14 de março de 1983

O Nodo Sul em Capricórnio mantém as influências positivas do signo, mas “exagera” e pode demonstrar a sombra do signo. Taciturno, negativo, reclamão, rígido, austero, distante, empacado, frio, identificado unicamente com o poder. Tudo na vida é questão de “saber dosar”. Se Capricórnio positivo realiza, Capricórnio negativo duvida. O copo está sempre vazio ou pela metade. Tudo é difícil, a vida é uma túnica pesada e escura,  que se arrasta pelo chão.

Nem sempre tais características se mostram de modo tão acentuado. Existe sempre o desejo de fazer, mas talvez façam pelo lado mais difícil, exigindo demais de si mesmos.

Interrompi as previsões para 2013 porque a repercussão da postagem sobre a figura paterna, homenagem a São José, foi muito grande e dei continuidade ao tema. Não tenho muito tempo para postar e não consigo ter um blog interativo com comentários e respostas pela mesma falta de tempo. Não tenho interesse em ter equipe e terceirizar o trabalho. Mas recebi muitos emails incentivando a dar dicas de livros e pedindo continuidade à abordagem da figura do pai.

Vou dar dicas de livros e  livrarias. Quando sei o que quero comprar, compro  na Livraria Cultura da Avenida Paulista, pessoalmente ou pedindo por telefone ou pelo site. E eles entregam em todo o Brasil rapidamente. Posso receber com data e hora marcada.  Ou compro com a livraria Mahatma em Curitiba. Angélica Ayres faz pesquisas, procura dar o melhor das informações e também envia para qualquer parte do Brasil. É uma livreira experiente e sempre indica o melhor, oferecendo um atendimento personalizado, impossível de se obter em livrarias maiores. Mesmo livros importados podem ser obtidos em curto prazo. Seguem os links:

www.livrariacultura.com.br

www.mahatmalivraria.com.br

Voltando ao livro de Leonardo Boff, que agradou tanto aos leitores, vou fechar a postagem com mais dois trechos:

“Todos nós possuímos interioridade. Há um universo de vida, de emoções, de sonhos, de arquétipos e de visões em nosso interior. Dele nos vêm vozes e mensagens. Elas nos aconselham, nos advertem, nos inspiram. Misturadas a essas vozes vem também a Voz de Deus, que nos conclama para uma vida mais sincera, mais transparente, mais aberta e mais devota.

E só escutamos essa Voz e essas vozes, se fizermos silêncio em nosso interior. A vida interior é a vida do silêncio eloqüente e fecundo. É nesse silêncio que maduram as boas intenções, que se elaboram os sonhos que dão sentido à nossa esperança e que nascem as palavras transformadoras da realidade.

José é o mestre da vida interior silenciosa. Seu silêncio testemunha outro tipo de santidade e de grandeza que não passa pela visibilidade e pela palavra.

Ele é o patrono da grande maioria da humanidade que, passa despercebida e anônima neste mundo,  vive no silêncio, e que, não raro, é condenada a viver no silêncio iníquo, quando precisariam falar, protestar e gritar contra palavras que mentem e ações que oprimem.

O silêncio de José mostra a fecundidade do não falar, mas do fazer; do não se expressar, mas do estar no lugar certo com sua presença e ação.

Esse é o José da história, receptáculo preparado para receber em sua vida a plena presença do Pai.”

“Vivemos numa sociedade sem pai ou do pai ausente. Num certo sentido, o pai foi expulso da família na medida em que foi impedido de realizar suas funções paternas. Seja porque o regime de trabalho da sociedade industrial e do conhecimento o ocupa física e mentalmente de forma tão intensa que lhe resta pouco tempo para conviver com os filhos/filhas, seja porque seu papel foi demolido pela crítica à autoridade do pai…”

São José – O pai, o artesão e o educador – Editora Vozes