Previsões para Libra em 2017 – Júpiter em Libra

Postado em 16 de dezembro de 2016 por Andreia Modesto

Libra está sendo apontado como o signo que mais benefícios recebe durante 2017, por causa do trânsito de Júpiter que funciona como um vento favorável aos librianos. Júpiter rege Sagitário e por isso, é preciso que Libra consiga não somente acelerar o passo, como determinar metas e lançar-se a elas sem medo.

O ano de 2017 será regido por Saturno, que estará transitando por Sagitário, signo regido por Júpiter, até dezembro. Librianos terão favorecimento para questões judiciais, maiores chances em provas, concursos, testes, poderão ser promovidos e se destacarão nos esportes ou no trabalho.

Viagens e estudos talvez sejam os pontos mais valorizados, assim como algum novo caminho espiritual. E a satisfação maior dentro da relação a dois, com Libra se permitindo receber muito mais! O signo que sempre se doou começa a virar o jogo e entender que pode e merece receber mais!

Desde 2018, pela quadratura de Plutão e mais intensamente de 2011 para cá, pela oposição de Urano, librianos começaram a conquistar mais espaços e mostraram mais segurança diante da vida.

Um dos signos associados à reflexão e contemplação, precisa do tempero da ação e do impulso para ir à frente.

Júpiter atenua as dúvidas librianas, pois dúvida não é uma palavra que exista no dicionário de Sagitário, signo regido por Júpiter. Então, fica mais fácil para Libra decidir e se jogar no caminho escolhido.

O planeta poderá acelerar processos que estavam emperrados. E pode existir até mesmo um pouco de sorte que trará eventos inesperados.

Libra gosta de ler, gosta de obter conhecimentos que alimentem a alma. É um dos signos mais refinados e viver não pode ser o exercício da sobrevivência apenas. É preciso sobrar tempo para filosofar e ler poesias.

Então, muitos librianos conseguirão espaço para atividades lúdicas, algum hobby que alivie a pressão do dia a dia de trabalho e que traga momentos felizes.

A questão-chave da maior parte dos librianos é o casamento, seja o casamento amoroso, seja o casamento profissional. Com Urano em oposição e Júpiter conjunto ao Sol, existe um “frisson” nesse eixo EU versus O OUTRO. Librianos entendem que toda a relação precisa ser bem equilibrada, os dois pratos da balança se mantendo estáveis, sem pesar demais para um ou para outro. Essa é outra arte…

Esse  “outro” importante e determinante da vida de Libra nem sempre é a companhia no amor. Pode ser o laço com o irmão, com um dos pais, com um amigo especial, com o sócio, enfim, com aqueles com os quais Libra se sente comprometido – em alguns casos, “atado”.

De 2008 para cá, aos poucos, Libra tem se liberado da necessidade de ser tudo para todos e tem tentado encontrar luz e calor dentro de si mesmo. Aqueles que têm o Sol na casa 7 ou na casa 8 do mapa astral “funcionam” do mesmo modo que Libra: a energia vem do outro, viver é trocar o tempo todo. Libra anseia pelo reconhecimento, incentivo e inspiração…DO OUTRO.

Do outro, pelo outro, para o outro. Libra é uma gracinha, mas com Júpiter, descobre o que é poder. Sem culpas, sem laços esgarçados, sem esperar demais para poder dar o seu pulo. “Empoderamento” é uma palavra na moda e o signo mais “empoderado” dos últimos tempos é Libra.

Vênus, estrela azul, protege e Júpiter empurra os librianos para a vida. A palavra de ordem é: sigam em frente, pois as oportunidades de 2017 serão especiais. E se não acontecerem situações concretas, as mudanças interiores poderão ser consideradas como “divisoras de águas”. Antes e depois de Júpiter. Revoluções no mundo lá fora ou revoluções no mundo aqui dentro de Libra.

Júpiter demora doze anos para dar a volta na mandala astrológica. Então, somente daqui a doze anos librianos terão um despertar como esse.

O trânsito de um grande planeta como Júpiter sobre o nosso Sol modifica com certeza nossa consciência. A visão que Júpiter traz é de certezas, fé, segurança de se colocar com toda a firmeza do mundo, buscando o seu espaço sem depender de ninguém.

É impossível que um libriano se torne frio, rude ou que aprenda a amar a solidão. Mas começa a gostar mais da própria companhia e reconhece que merece muito mais da vida.