Signo de Touro – Krishnamurti

Postado em 4 de maio de 2015 por Andreia Modesto

Descobrir que um guru indiano é nascido sob o signo de Touro, causa espanto a muitas pessoas. Krishnamurti nasceu no dia 12 de maio de 1895, na cidade de Madanapalle,  em torno de zero hora 50 minutos.

Ascendente a 18 graus de Aquário, Lua em Sagitário na casa 11 e Urano retrógrado na casa 9.

Urano em oposição a Sol e Mercúrio em Touro no eixo casa 9 – casa 3.

Vênus, regente de Touro, no flexível signo de Gêmeos, conjunto a Júpiter exaltado em Câncer e Marte em Câncer.

Netuno trino Ascendente, Netuno regente do Nodo Norte em Peixes, uma missão de vida destinada a TER e SER um caminho espiritual, já que o Nodo Norte está entre a primeira casa e a casa 2.

Krishnamurti não foi um guru qualquer. É conhecido pela coragem e inquietude, próprias de Urano, que fez com que questionasse a primeira parte de sua trajetória espiritual. Jogar tudo para o alto é típico dos “uranianos”.

Poucas pessoas conhecem o lado “guru” de Sagitário, signo que procura a sabedoria e acredita em conceitos, teorias, ideias que se sobrepõem a experiência da prática da vida.

A Lua em Sagitário na casa 11 é suficiente para oferecer carisma e é comum em mapas de professores, escritores famosos, pensadores de todos os tempos, pessoas que marcaram suas gerações dizendo coisas importantes. Mas Sagitário pode ser muito conservador. Os questionamentos e angústias de Krishnamurti são sinalizados em seu mapa pelo Ascendente em Aquário, que além de projetá-lo internacionalmente, faz com que seja extremamente sincero, franco e à frente de todos os outros.

Onde fica a energia de Touro? Bom, se o Sol e Mercúrio recebem oposição de Urano retrógrado no eixo casa 3 casa 9, esse Touro bate asas e está menos preocupado com questões básicas de bem estar e sobrevivência e muito mais ligado a busca de uma Verdade.

Krishnamurti produziu muito. Escreveu muitos livros e suas palestras sempre começam com uma observação sua sobre a natureza, o tempo, o cenário onde se produzirá o encontro que vai gerar o livro. Em alguns de seus textos fica claro o seu compromisso com a liberdade, palavra-chave de Aquário.

Sua trajetória viveu a ruptura prometida por Urano-Sol em oposição. Talvez o ensinamento maior quando se analisa um mapa como o dele, seja compreender que não se pode analisar somente o Sol em Touro, mas a oposição Urano-Sol que promoveu total reviravolta de valores, valores sempre não-materiais, intelectuais e espirituais.

E bastaria Vênus em Gêmeos para afirmar uma identidade taurina muito mais flexível, maleável e aberta a diálogos do que a maior parte dos nascidos em Touro.

O NODO NORTE EM PEIXES envolvendo a primeira casa e a casa 2, é o símbolo da sua missão de vida. A construção de uma identidade e valores espirituais, a encarnação do papel do mestre, daquele que pouco ou nenhum tempo possui para sua vida “pessoal”, mas que se dedicará arduamente (Touro) a falar para a Humanidade (Ascendente Aquário, Urano-Sol, Lua em Sagitário). Netuno trino Ascendente é a energia  que fez com que Krishnamurti fosse escolhido e reconhecido em sua sabedoria até mesmo antes de ter consciência do seu destino.

“Alimentar os pobres é uma boa obra, nobre e útil; porém, alimentar-lhes as almas é ainda mais nobre e mais útil”.

“A forma mais elevada da inteligência humana é a capacidade de observar sem julgar.

“Liberdade e amor andam juntos. Amor não é reação. Se eu o amo porque você me ama, trata-se de mero comércio, algo que pode ser comprado no mercado. Amar é não pedir nada em troca, é nem mesmo sentir que se está oferecendo algo. Somente um amor assim pode conhecer a liberdade”.
Quando vemos uma pedra pontiaguda em um caminho frequentado por pedestres descalços, nós a retiramos não porque nos pedem, mas porque nos preocupamos com os outros, não importa quem sejam. Plantar uma árvore e cuidar dela, olhar o rio e desfrutar a plenitude da terra… para tudo isso é preciso liberdade – e, para ser livre, é preciso amar”.