Signos e relacionamentos

Postado em 6 de março de 2016 por Andreia Modesto

Em alguns dias acredito que o mundo se divida entre aqueles que recebem muito e aqueles que doam muito. Melhor, aqueles que só recebem e aqueles que só doam. Flávio Gikovate tem um livro em que comenta sobre relacionamentos baseados nessa dinâmica. Uma pessoa alimenta a condição da outra e assim seguem ao longo da vida, sem conseguirem um ponto de equilíbrio.

Alguns clientes meus aprenderam que não têm direito a nada. Outros, que têm direito a tudo. E fica claro que a formação dentro da família e na sociedade tem uma interferência fortíssima no modo como aquela pessoa se desenvolveu.

Como muitas das nossas reações e posturas são “aprendidas”, elas podem ser “desaprendidas” também. É preciso capacidade crítica para recusar o desenvolvimento do nosso lado mais negativo.

Acredito que as pessoas mudem, porque vi as pessoas mudarem para melhor. Se você conhece muitas pessoas e vai acompanhando como se desenvolvem, mesmo que existam períodos de “trevas”, existem sempre boas chances e possibilidades de renovação total e elas conseguem aproveitar.

No embalo de “Signos e relacionamentos”, tentei mostrar algumas dificuldades que podem ser eliminadas do relacionamento antes que ele termine. É só querer!

1 – Casais que se relacionam sob a influência de Áries, ou através do planeta Marte, frequentemente têm uma vida sexual intensa, mas brigam muito. Ficam disputando quem é que tem a razão dentro de diferentes situações. Brigam por nada, brigas bobas que são esquecidas em seguida. Existe uma rivalidade profissional e estão quase sempre medindo forças. Se existirem influências de Sagitário e Júpiter, o casal torce por times e escolas de samba diferentes. E seguem gurus diferentes. Ela pertence a umbanda e ele é evangélico. O tempo todo eles fazem um exercício de manutenção da própria individualidade e evitam se deixar contaminar por valores ou ideais do outro.

Acompanhei alguns casais que acabaram terminando o relacionamento e em pouco tempo já estavam em novos relacionamentos repetindo o mesmo roteiro do filme anterior. Ou seja, novos parceiros, velho casamento, mais brigas pela frente. Para essas pessoas, relacionar-se é rivalizar. A relação precisa desse estímulo, mas se passa da dose, a relação é desrespeitosa para ambos.

2 – É comum que um parceiro afetivo se queixe do outro, fazendo menção à criação que ele teve e aos valores da família dele. Então, a família dele sempre foi descontrolada financeiramente, ou sempre exigiu pouco dos filhos. Ou o contrário, a família segura muito o dinheiro, não aproveita a vida e foi rígida demais com os filhos. A família dele grita, ou a família dele não conversa sobre nada. A família dela é festeira demais e exagera na bebida. Ou, são esquisitos e recusam todos os convites. Não importa. A família do João é diferente da família da Maria e vice-versa.

É lógico que é. Mas casamento não é um jogo onde se vai eleger a “melhor criação”, pois desde que um casal está junto, sua proposta é a criação de um novo núcleo, que manterá contato frequente com os núcleos anteriores, mas terá o seu próprio desenvolvimento e suas próprias questões. Os casais que agem dessa forma normalmente têm muita influência de Gêmeos, Câncer e Leão. Ou, Mercúrio, Lua e Sol. O mais perigoso é quando os familiares de cada núcleo de origem acolhem as queixas do filho e se forma uma trincheira – “Nós e Eles”. Porque só atrapalham. Mas já conheci pais que reprovavam a conduta dos filhos, procurando evitar a discórdia.

3 – Tentar transformar o outro naquilo que ele não é, acontece com Libra e a participação de Vênus. Ou, a influência de Peixes e Netuno, já que alguém que pretenda transformar o outro (ou a outra) naquilo que o outro ou a outra jamais será, tem que ter uma boa dose de “idealização”. É preciso primeiro não conseguir perceber as limitações do outro. Talvez ele (ou ela) até pudessem se esforçar para mudar. A questão é que o outro não quer, não pode, não consegue, não pretende mudar. Mas, o outro parceiro insiste, insiste, insiste…até que cansa e ambos saem do relacionamento esgotados. Esse tipo de relacionamento dura pouco tempo, pois o desgaste é grande demais.

4 – Casais que só falam de trabalho e dinheiro, vibram Capricórnio, Virgem, Saturno e Mercúrio. Na cama, discutem sobre o câmbio do dia e os melhores investimentos. “O outro” é o chefe dela, capaz de acordá-la as 4 da manhã para perguntar algo importante (para o chefe) e urgente. Ou o sócio dele, que o enlouquece com sua negligência ou pressão e é o único tema do jantar a luz de velas no restaurante caro. Presenças constantes, que preenchem a vida de um casal que está aos poucos se esvaziando e se afastando do que seja realmente um casal.

Continuo em outra postagem, em outro dia.