Sinastria – Saturno – Dica de livros

Postado em 9 de abril de 2013 por Andreia Modesto

As postagens estão saindo sem revisão. Peço desculpas se descobrirem alguns erros.

Alguns clientes reparam que numa mesma família é comum existir uma repetição de signos solares ou signos ascendentes. Mãe e pai são nascidos em Libra, dois filhos são nascidos em Câncer e o terceiro é nascido em Touro que é o signo da avó materna.

Mãe e pai são nascidos em signos opostos. Ele Touro, ela Escorpião. O filho mais velho é nascido em Escorpião, como a mãe, e o caçula tem Sol e Ascendente em Touro.

Há pouco tempo, um cliente canceriano, descobriu que até o novo cachorrinho da família também nasceu com o Sol em Câncer. Dengoso, afetivo e caseiro. Essa é uma boa dica: um cachorro mais levado pode ser nascido em Áries ou Sagitário. Para guardar a casa, o ideal pode ser o cão nascido em Capricórnio.

Quando fazemos as sinastrias, reconhecemos que a arquitetura celeste  é perfeita. O grau da Lua da mãe faz conjunção exata com o Ascendente do filho. O Ascendente da filha faz conjunção exata com a Vênus da mãe.

Relacionamentos afetivos intensos sempre se revelam pelos aspectos de Marte-Vênus e Marte-Lua, que também podem ser férteis, gerando filhos. É comum que o Nodo Norte dele faça conjunção com a cúspide (no mesmo grau) da casa 7 (relacionamento) dela. E que o Nodo Sul dela faça conjunção com o Meio-do-Céu dele. Os dois Ascendentes no mesmo signo é muito comum nos relacionamentos amorosos. A Roda das Casas “anda” no mesmo ritmo.

Mas em todas as sinastrias, os aspectos desafiadores fazem parte do contexto. Saturno em oposição, quadratura, trigono ou mesmo conjunção, é bastante comum.  A vida é tensão e desenvolvimento.

Educar é ter responsabilidade e muitas vezes reprimir. Repressão é uma palavra complicada. Mas criança é proibida de entrar na cozinha, proibida de enfiar o dedo nas tomadas ou se debruçar nas janelas. Assim como conteúdos de extrema violência ou sexo escancarado são, ou deveriam ser,  pelo menos em teoria, proibidos para o bom desenvolvimento de crianças e adolescentes. Bicar o copo de cerveja na festa da família é também uma interdição.

Algumas pessoas dirão que “são o que são” porque foram extremamente treinadas pelos pais para dar o melhor de si para o mundo. Outras dirão que não conseguiram se desenvolver porque os pais eram exigentes demais. As percepções são subjetivas, em linguagem simples, “cada um é cada um”.

Saturno está lá. Pode pressionar e fazer brilhar o diamante. Ou pode sufocar e não permitir viver.

Não somente a percepção dos filhos é única como o modo de cada pai e mãe de exercer o seu “Saturno”.

Não é raro que nos tempos atuais, adolescentes peçam limites aos pais. Eles próprios admitem que precisam de limites e muita disciplina ou se perdem ao longo do dia. Rotinas podem parecer sem graça,  mas não é à toa que o dia se divide harmoniosamente em 24 horas e as estações se alternam sempre do mesmo modo.

Precisamos nos inserir no tempo e espaço do mundo material. E então funcionamos melhor, por dentro e por fora.

Saturno dos pais em aspecto com ângulos ou planetas da carta natal dos filhos representa o limite do exercício da autoridade.

Saturno dos filhos em aspecto com os ângulos ou planetas da carta natal dos pais representa as restrições que  enfrentam na vida pessoal para poder viver o papel que escolheram tendo filhos.

Do mesmo modo que uma criança não sai no frio e na chuva desagasalhada, os pais também não podem mais viajar tanto como faziam antes de serem pais.

Sempre que se exercitam os verbos “não pode” ou “tem que fazer”, ou seja, sempre que o caminho do bom-senso exige restrições e limitações, Saturno está ali. E por isso, é sinônimo de maturidade, construção de uma vida civilizada.

Todo motorista que parar na faixa para permitir que pedestres atravessem a rua, está exercitando “o seu Saturno” – não passa por cima, respeita as regras e dá espaço para o outro.

Uma vida excessivamente saturniana pode ser austera e fria demais. Uma vida sem Saturno, nem se segura no plano material. Transcende, passa para outra freqüência, vai para outro planeta.

Saturno pode ser o termômetro da maturidade que se traduz por independência. Responsabilidade e liberdade conjugadas. Seu antônimo astrológico é a Lua, que gravita em torno da Terra e pode indicar alguém que não caminha sozinho, precisando viver sempre o papel de filho ou ser mantido e apoiado por outros.

É engano pensar que o oposto de Saturno sejam os “trans-saturnianos”. Porque a proposta de Urano, Netuno e Plutão, como diz o termo, é para ALÉM de Saturno. Ou seja, depois que se alcançou a “consciência do seu próprio poder”, representada por Saturno, então se pode ir além, desenvolvendo uma consciência social mais ampla, espiritual, cósmica!

Quando a maturidade saturniana ainda não foi atingida, as coisas não vão dar muito certo. Para fugir da sensação de tensão gerada pela pressão dos primeiros anos de trabalho (Saturno), é possível que alguém comece a beber (Netuno). Para fugir das responsabilidades do mundo material (Saturno), alguém pode se refugiar numa comunidade espiritual (Lua e Netuno), onde tem sua sobrevivência assegurada e transfere a responsabilidade para um novo pai (Saturno).

Não é raro que os sonhadores (Netuno e Urano) queiram queimar etapas saturnianas, esperando por algum golpe de sorte. Sonhos impossíveis são absolutamente possíveis de serem concretizados se tomarem a forma de projetos. Ou seja, se algumas concessões forem feitas e se existir uma postura prática diante do tal sonho. Por onde é que eu começo? Qual é o primeiro passo? Aquele que viajou por todo o planeta, começou com um primeiro e pequeno passo. E foi aos poucos conhecendo o mundo.

A vida não é uma experiência distante, fora do alcance. Ela está aí. A vida está à mão de todos. Se sonhos parecem impossíveis, é preciso investigar qual a forma de torná-los praticamente realizáveis. Qual é a ponta do novelo? Uma obra de arte começa por uma tela vazia e uma pincelada insegura. Ou fica anos como um pedaço de mármore esquecido no canto do ateliê.

Todo livro (ou postagem) de auto-ajuda, diz o óbvio. Comece, não desista, vá em frente.  Uma postura empreendedora, independente e corajosa, sempre considera o erro. Grandes obras, monumentos gigantescos ou descobertas revolucionárias são realizadas por um grupo de pessoas comuns. O arquiteto genial precisa da atenção do mestre de obras e da dedicação dos pedreiros.

Estamos procurando pela perfeição. Tentando chegar o mais perto possível. Estamos tentando, só isso. Sabemos que não vamos conseguir. Ela não faz parte desse plano material.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Com a Coréia do Norte esperneando de vontade de entrar numa briga  e testando a paciência do resto do planeta, vou retornar ao tema “Francisco”, que abordei numa outra postagem. A perfeição não faz parte do mundo material mas a esperança é a amiga de sempre.

Depois que o cardeal argentino escolheu o nome Francisco como um símbolo do novo momento de sua igreja, a memória ressuscitou o santo que é cultuado não somente entre os católicos mas também pelos kardecistas. Símbolo de simplicidade e repúdio ao luxo, enfrentou  a resistência do pai e precisou fazer muitas concessões para ter a ordem reconhecida pela Igreja, de modo a perpetuar seus novos valores.

Francisco de Assis (1181 ou 1182) era nascido Giovanni, João, em homenagem a João Batista. Não se sabe ao certo porque escolheu o nome Francisco, mas tinha paixão pela língua francesa, língua dos romances e das poesias da época de sua infância. Era em francês que cantava e conversava com os animais.

Selecionei dois livros sobre São Francisco. O primeiro, de autoria de Jacques Le Goff, interessa aqueles que desejam ter uma visão “histórica” da trajetória do santo dos pobres.

O segundo, de autoria de Leonardo Boff é uma descrição mais afetiva, íntima e psicológica da figura polêmica, frágil fisicamente e surpreendente na força espiritual.

Um livro completa o outro. O ideal é ler ao mesmo tempo e conseguir não somente “saber” um pouco mais sobre São Francisco de Assis, como absorver suas idéias e sentir o amor profundo que tinha pela vida.

São Francisco de Assis – Jacque Le Goff – Record

São Francisco de Assis – Ternura e Vigor – Vozes