Sincronicidade, Oráculos e Mapa Astral da família

Postado em 6 de novembro de 2015 por Andreia Modesto

Respondo a dois leitores.

O primeiro, me perguntou sobre a Fadinha e se ela pode ser considerada como oráculo. A resposta é sim. Como todo oráculo, tem por base o “acaso” no qual não acreditamos, já que o que existe é a sincronicidade. Como as cartas que escolhemos no jogo de Taro, aleatoriamente. Mas que estão de acordo com o nosso pensamento, com a nossa angústia, a carta ou arcano que tem a resposta a nossa pergunta. Algumas pessoas conseguem interpretar os sinais da vida. É lógico que é preciso tomar cuidado para não esbarrar em superstições ou ver sinais cósmicos por todos os lados. A pia que entupiu não necessariamente está relacionada com o fato de você ter que engolir coisas que não gostaria de engolir. Não necessariamente.

A leitura do mapa astral também se baseia na sincronicidade, fazendo uma relação do céu exterior com o céu interior daquele pequeno ser recebido no mundo material, respirando pela primeira vez, começando a bater seu relógio espiritual ao mesmo tempo que o tempo aqui fora começa a correr. Alguns astrólogos gostam de estudar o momento da concepção, mas o ponto de partida é se fazer indivíduo, nascendo, “colocando a cabeça para fora”, tomando parte no drama da vida separadamente da figura materna. Sobre oráculos, o mais curioso de todos era o de Hermes na antiga Grécia. Dentro do templo, depois de cochichar na orelha da estátua do deus, o devoto tampava os ouvidos e corria para a rua. Ao destapar os ouvidos, o primeiro “rabo de conversa” que ele ouvisse daqueles que caminhavam pela rua, era a resposta do deus.

O segundo me pergunta sobre o mapa astral da família e se existe mesmo uma ligação astrologica entre as diferentes pessoas de uma mesma família. A resposta é sim. O que causa espanto e nos faz acreditar cada vez mais na Astrologia, é a arquitetura perfeita, a matemática que mostra que o Ascendente da mãe tem o grau do signo solar do filho. Ou que dois irmãos com cinco anos de diferença, possuem o mesmo Ascendente, no mesmo grau. É comum que o signo solar do filho seja o signo Ascendente da mãe ou aquele que rege a casa 5 (casa dos filhos) dela. E também é assustadora a afinidade dos mapas de casais ou amigos. A precisão de Mercúrio de um sobre Vênus do outro e por aí vamos…Sobre duas pessoas nascidas no mesmo signo, as amizades costumam ser mais comuns do que os casais. Afinal, a atração rege mais os casamentos do que as amizades. Mas ter um parceiro com o mesmo signo solar, já indica alguma afinidade e algumas metas em comum. Ainda que não se possa dar um “diagnóstico” sem ver o mapa como um todo. Se as duas Luas não forem compatíveis, a análise começa a mudar…

Também é comum que um mesmo signo se repita nas famílias. Não é raro mãe e filho nascidos no mesmo dia. Ou uma família de médicos e dentistas onde só existem “nascidos em Peixes, Escorpião e Virgem”. OU famílias de arquitetos e engenheiros, onde “todos” são nascidos em Touro, Gêmeos e Câncer. O único leonino foi para publicidade, trabalhar como designer. Famílias onde todos são ligados a vida acadêmica, Sagitário e Peixes, no signo solar, Ascendente ou signo de Mercúrio. Famílias que enfrentaram muitas mudanças de residência e os signos são: Gêmeos e Aquário, signos de movimento e inquietude. Mas é lógico que é preciso cuidado e atenção na análise. Conheço taurinos que possuem Lua em Aquário em quadratura com Urano em Escorpião e são filhos de diplomatas, a cada três anos uma geografia diferente para o tradicional signo do apego.